[ editar artigo]

UEPG cancela evento partidário após questionamento

UEPG cancela evento partidário após questionamento

O Grande Auditório da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), localizado no Campus Central da instituição no Centro da cidade, tem agendado para o próximo dia 20 uma apresentação pública dos coletivos do Partido Comunista Brasileiro (PCB), com presença de pré-candidatos para as eleições deste ano. O evento, chamado ‘Pelo fim da exploração do homem pelo homem’, contraria o Regimento Geral da UEPG, que proíbe a realização de atividades político-partidárias nos espaços públicos da instituição. Para evitar o desrespeito às regras universitárias, a pré-candidata à deputada estadual pelo Partido Novo, Anne Dias, e a estudante de Direito da universidade, Domithila Novach, protocolaram juntas na Reitoria um pedido de suspensão da atividade na manhã desta quinta-feira (4). O caso também foi denunciado ao Ministério Público Eleitoral.

A UEPG cancelou o evento na tarde desta quinta, de acordo om o jornal Gazeta do Povo, após o questionamento. A divulgação no Instagram era feita pelo PCB de Ponta Grossa e tem marcado como apoiador o Centro Acadêmico de Serviço Social Professora Divanir Munhoz (CASSD). O perfil do Centro Acadêmico também tem uma publicação em que também faz convite para a apresentação dos coletivos do PCB. “A realização deste encontro partidário na UEPG é ilegal. A universidade pública, mantida com os impostos de todos os paranaenses, não pode servir de palanque para um partido político em nenhum momento, mas principalmente às vésperas de uma eleição. Solicitamos à Reitoria que reveja a autorização e evite o uso partidário de um espaço universitário. Além disso, oficiamos o Ministério Público Eleitoral para que acompanhe o caso e manifeste-se para impedir o uso ilegal da UEPG”, disse Anne Dias.

O caso foi comunicado pela estudante Domithila Novach, que ficou indignada com o desrespeito às regras universitárias. “Eu acompanhei a repercussão da ação da Anne em questionar o uso da Reitoria da Federal por um partido político no mês passado. E vi que estava acontecendo o mesmo aqui na UEPG. Então, resolvi entrar em contato e pedir apoio para evitar que nossa universidade seja usada para fins partidários, assim como aconteceu em Curitiba”, contou a acadêmica de Direito.

No último dia 26, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) cancelou a realização do lançamento do ‘Comitê Popular de Luta da UFPR’ no Teatro da Reitoria. A decisão foi tomada pelo reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, após pedido formal de cancelamento de Anne Dias. O evento desrespeitava o Regimento Geral da universidade, que também proíbe atividades político-partidárias. Naquele caso, a organização era de entidades sindicais e estudantis e previa participação de três pré-candidatas ao cargo de deputada pelo Partido dos Trabalhadores (PT). 

Domithila ressalta que a intenção não é restringir a atividade política, mas garantir que ela aconteça de forma legal. "Acredito que o debate político e ideológico dentro das instituições é de extrema importância para o desenvolvimento social, mas não podemos tornar isso um palanque político-partidário em ano eleitoral", declarou.

Regimento Geral da UEPG

O uso partidário da Universidade Estadual de Ponta Grossa é proibido pelo Regimento Geral da instituição nos artigos 105 e 110. 

O artigo 105 diz: “O Corpo Discente será representado, com direito a voz e voto, nos órgãos colegiados da Universidade. Parágrafo único. A representação terá por objetivo promover a cooperação da comunidade acadêmica e o aprimoramento da Instituição, vedadas atividades político-partidárias.” Já o 110 afirma: “É vedada à representação discente qualquer ação ou atividade político-partidária, e, bem assim, qualquer manifestação ou propaganda com caráter de discriminação racial, social ou religiosa. Parágrafo único. A inobservância do disposto neste artigo e o não-cumprimento das disposições legais e normativas da Universidade acarretarão ao representante discente, além de outras penalidades cabíveis, a suspensão ou perda do mandato ou encargo.”

 

Anúncios:

 

Amo Curitiba
GiD Marketing e Comunicação
GiD Marketing e Comunicação Seguir

Estratégia e planejamento em comunicação corporativa.

Ler conteúdo completo
Indicados para você