[ editar artigo]

Estudantes criam miniempresa social e sustentável para praticar empreendedorismo

Estudantes criam miniempresa social e sustentável para praticar empreendedorismo

Carteira feita com uniformes de garis aposta na conscientização do consumidor

De acordo com uma pesquisa realizada pela Union + Webster, 87% da população brasileira prefere comprar produtos e serviços sustentáveis e 70% afirmou que até aceitaria pagar mais por isso. A miniempresa Walle.ty, composta por alunos da 2ª série do Ensino Médio do Colégio Marista Santa Maria, de Curitiba (PR), apostou nesse dado e desenvolveu uma carteira ecologicamente correta, feita com tecido reutilizado. O material, que antes era uniforme de garis, deu origem ao produto que lembra um origami e tem apenas uma costura.

De acordo com a diretora de Marketing da miniempresa, Geovana Calegari, a Walle.ty preza pela sustentabilidade em diversos setores. “Nós reaproveitamos o material que antes iria para o lixo e o transformamos em um produto útil”, afirma.

Cerca de 200 unidades já foram vendidas pelos alunos, que estão com uma lista de espera para entrega do produto. A carteira pode ser comprada diretamente no Instagram da miniempresa e em eventos que os jovens participam. E mais do que o sucesso do produto, os alunos têm que atingir as metas estabelecidas pelo programa, criado pela Junior Achievement, organização social que incentiva jovens a empreender em todo o mundo, em parceria com o Sistema Fiep (Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná). O objetivo é estimular o empreendedorismo nos jovens, com uma metodologia diferenciada e que mostra, na prática, como é possível criar o próprio negócio.

Além de empresários, os jovens se tornam acionistas da empresa, que tem capital aberto. Ou seja, outras pessoas também podem investir e colaborar com o crescimento do empreendimento e lucrar junto. Geovana explica que, por mais que o valor das ações seja simbólico, serve como exemplo e lição sobre o funcionamento de uma empresa de verdade. “Cada hora de trabalho nosso é válido e remunerado simbolicamente. Com isso temos um incentivo para colaborar para que o negócio dê certo”.

Para o orientador pedagógico do Colégio Marista Santa Maria, André Luis Miranda Scelza, o projeto da Junior Achievement oferece uma bagagem diferente para os participantes, que pode ser um diferencial no futuro profissional. “Ao formar uma empresa, eles têm que tomar decisões, fazer escolhas e lidar com problemas o tempo todo. A divergência de ideias e os caminhos tomados para resolver as questões são aprendizados muito ricos, assim como o compartilhamento de fracassos e conquistas”.

Em 2018, o programa contou com a participação de mais de 350 alunos de 14 escolas. A miniempresa Cellity, de alunos do Colégio Marista Santa Maria, ficou com o 3o lugar no ranking. Os estudantes criaram o Keeper, um porta-cartões que é colado no verso do telefone celular.

 

Sobre a Rede Marista de Colégios

A Rede Marista de Colégios (RMC) está presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação.

Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Ler conteúdo completo
Indicados para você