[ editar artigo]

DOCUMENTÁRIO DEPOIS DO FIM TRATA DA FINITUDE E PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA MATERIAL E IMATERIAL FERROVIÁRIA

DOCUMENTÁRIO DEPOIS DO FIM TRATA DA FINITUDE E PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA MATERIAL E IMATERIAL FERROVIÁRIA

O filme resgata através das memórias de um comandante de trem, parte da história
das ferrovias brasileiras. Terá estreia exclusiva a partir do dia 18/07, quinta, no Cineplex Novo Batel.

O documentário revela a atual situação das ferrovias brasileiras e traz reflexões sobre a
finitude da vida. DEPOIS DO FIM chega entre os dias 18 e 24 de julho em Curitiba com
exclusividade pelo Cineplex Novo Batel às 14h e 18h20. A Premiere Internacional está
prevista para o 2o semestre na Alemanha.
O filme é narrado por um ex-ferroviário, comandante de trem, personagem nonagenário
que vive entre memórias e ruínas, e relembra o período áureo do mais importante meio
de transporte terrestre do século XX. Ao revisitar o passado, o personagem traça um
paralelo entre a história de abandono das ferrovias e sua própria história, e conclui:
“Como pra tudo, o fim chegou.”


DEPOIS DO FIM não lida com narrações descritivas, mas com visão poética e reflexiva
do abandono em diversos recantos do Rio Grande do Sul, entre as fronteiras do
Uruguai e Argentina, onde o trem fez história no país. Um velho comandante de trens
revisita estações e percorre linhas de ferro, buscando vestígios da era de ouro das
ferrovias brasileiras. Com o som tonitruante dos trens, que se torna recorrente na
memória do velho maquinista, cria-se uma narrativa que lança o espectador em um
tempo paralelo, próprio do personagem, entre o apogeu e decadência das ferrovias, em
uma reflexão sobre os ininterruptos ciclos da vida, com inícios, fins e recomeços.

Com classificação Indicativa Livre o filme busca conectar públicos de diferentes
gerações. Aqueles que viveram a era das ferrovias irão lembrar-se com nostalgia do
passado, enquanto os mais novos poderão sonhar com um futuro que já existiu: viajar
de trem pelo Brasil. O filme mostra um registro histórico de imagens em movimento
mais antigas do Rio Grande do Sul e uma das mais antigas do Brasil, realizadas em
1909 por Eduardo Hirtz.


O documentário é a estreia de Álvaro de Carvalho Neto como diretor de
longa-metragem. Sempre atuando como produtor, Álvaro tem no currículo produções
independentes de longas e curtas-metragens, além de séries para a Rede Globo e para
o canal Multishow.

SINOPSE
Ao refletir sobre a vida, aos 90 anos, o ex-comandante de trem Evaristo recorda a sua
trajetória nas ferrovias. Em meio às ruínas, ciclos de lembranças e lapsos de memória
reconhece a decadência das ferrovias e a iminente finitude.

DESTAQUE
● Apresenta memória material e imaterial, preservada e deteriorada, do meio
transporte mais importante do Brasil do início século XX: locomotivas a vapor,
estações de trem, linhas férreas e resquícios deste período áureo.
● Fotografia impactante e poética que revisita regiões relevantes na história das
ferrovias do Rio Grande do Sul e do Brasil. Rodado em Santa Maria, Pelotas,
Bento Gonçalves, Vespasiano Correa, Muçum, Marcelino Ramos, São Pedro do
Sul, Cacequi, Santana do Livramento e Uruguaiana, o filme percorre as
fronteiras do estado do RS com o Uruguai, Argentina, Santa Catarina e Oceano
Atlântico, caminho comum aos trens de século XX. Paisagens e recantos, entre
estações de trens, trilhos e outros vestígios de uma era de progresso.
● Apresenta imagens históricas que, segundo o historiador Glênio Póvoas, são as
imagens em movimento mais antigas preservadas no Rio Grande do Sul.
Trata-se do filme Cerimônia e Festa na Igreja de Santa Maria - Estação,
realizado em 1909 por Eduardo Hirtz, e apresenta a inauguração da Catedral, o
embarque na estação de Santa Maria, e a partida do trem.
● Visita as maiores estruturas ferroviárias da América Latina: a ponte do
Entrocamento, sobre o rio Santa Maria, é ponte ferroviária metálica mais longa,
com 1,5 km em Cacequi – RS, e o segundo viaduto mais alto do mundo, o
Viaduto 13, com 150m de altura e 509 de extensão, em Vespasiano Correa –
RS.

● Retrato poético e distinto da região férrea de Santa Maria, com fotografia
imponente, viaja por ambientes históricos com um novo olhar.
● Áudios recuperados das entrevistas de pesquisa e recortes do pensamento do
personagem remontam à história das ferrovias no século XX, seu apogeu,
decadência e finitude.

CURIOSIDADES
● Algumas estações e localidades representam claramente o conflito entre o
abandono/ruína e a preservação/restauro das ferrovias.
● Vila Belga, em Santa Maria, é considerado o primeiro conjunto habitacional do
Rio Grande do Sul, com 84 casas no estilo Belle Époque, com influências da
art-nouveau. Foi inaugurada em Santa Maria, no ano 1903. Hoje é patrimônio
histórico do município e do RS. Alguns desses prédios também representam o
conflito do filme, entre preservação e ruína.
● No trem turístico da Serra Gaúcha, entre as cidades de Bento Gonçalves,
Garibaldi e Carlos Barbosa, uma maria-fumaça percorre 23km.
● O trem turístico Piratuba - Marcelino Ramos, a maria-fumaça transita entre
Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

DEPOIMENTO SOBRE A TRILHA DO FILME - Leo Henkin

‘’Fazer a música desse belíssimo e oportuno documentário foi pra mim
uma instigante imersão nostálgica, uma viagem aos lugares mais
remotos da minha infância. Dos sons que embalaram minha trajetória
e os meus sonhos, e que se perpetuaram definitivamente em mim, lá
está o som eterno e urgente dos trens; os sons das ferrovias, das
estações, dos vagões, das multidões, das histórias de vidas, das
partidas e das chegadas - sons que trazem em si muita música ,
muito ritmo e poesia. A música para essa história comovente de um
homem apartado de sua paixão é um lamento. É o lamento
despertado pelo vigor dos relatos de uma época vívida, dourada e que
teve seu triste ocaso, em mais uma das insanidades cometidas nesse
país. É o lamento que ecoa das memórias e das imagens, dos ferros
que viraram ferrugens, dos vapores que viraram dores, do movimento
que virou silêncio.’’ Leo Henkin

SOBRE O DIRETOR
Álvaro de Carvalho Neto tem larga experiência no cinema e televisão. Atuou como
produtor em:
● UM LUGAR PARA MORRER - longa-metragem / Brasil/Uruguai, 2015.
● EXPEDIÇÃO XINGU - série para TV / Fantástico (REDE GLOBO), 2013.
● NO CAMINHO - série para TV / Multishow (GLOBOSAT), 2010 - 2012.
● MANHÃ TRANSFIGURADA, de Sergio Assis Brasil - longa-metragem / Brasil,
2009.
● PARAGEM DO TEMPO, de Carolina Berger - documentário / Brasil, 2009.
● HERANÇA, de Carolina Berger - documentário / Brasil, 2007.
● DEPOIS DO FIM marca a estreia de Alvaro na direção. Atualmente vive na
Alemanha, onde desenvolve seu próximo filme e pesquisa distribuição de filmes
entre Europa e América Latina.

FICHA TÉCNICA
Roteiro e Direção: Alvaro de Carvalho Neto
Direção de Fotografia: Pedro Rocha
Montagem: Alfredo Barros
Música: Leo Henkin
Desenho de som: Gabriel Schulz
Mixagem: Ricardo Costa
Supervisão de som: Kiko Ferraz e Christian Vaisk
Supervisor de pós-produção: Daniel Dode
Direção de produção: Rose Carneiro
Coordenação de Produção: Matheus Toledo
Assistente de direção: Fabrício Koltermann
Técnico de som direto: Higor Rodrigues
Assistente de câmera: Gustavo Fattori e Bruno Fenner
Maquinista: André Campanhol
Designer gráfico: Indio San
Consultoria histórica: João Rodolpho Flôres
Produção: Alvaro de Carvalho Neto
Distribuição: Lança Filmes
Financiamento
Governo do Estado do Rio Grande do Sul - através do Pró-cultura RS.

Patrocínio
Grupo CEEE - Distribuidora
Eny Calçados

Sobre a produtora Milímmetros
A Milímmetros é uma produtora audiovisual localizada no interior do Rio Grande do Sul.
Há quinze anos atuando nas áreas de cinema e televisão – ficção e documentário com
experiência de produção realizadas no Brasil e no exterior, tem com foco nas questões
sociais e ambientais. A produtora tem contribuído no processo de descentralização da
produção audiovisual brasileira com uma produção de qualidade técnica e artística
reconhecida no mercado.
Sobre a distribuidora Lança Filmes
Acreditamos em compartilhar boas histórias com o mundo. Formamos parcerias com
produtoras e diretores independentes, tanto nacionais como internacionais, desde a
fase inicial dos projetos até sua finalização. Atuando no mercado de distribuição, a
Lança Filmes valoriza a qualidade técnica e artística de seus filmes, levando para o
público histórias que emocionem, comovam e permaneçam nas suas memórias.

Serviço:
DEPOIS DO FIM | Documentário | Brasil | 70 min
Estreia em Santa Maria e Porto Alegre - 20 de Junho
Estreia Nacional - 27 de Junho

Ler conteúdo completo
Indicados para você