[ editar artigo]

Com dor ao urinar? O que os sintomas podem esconder

Com dor ao urinar? O que os sintomas podem esconder

A conhecida cistite é um dos problemas que mais aparecem no verão

Nessa época do ano é bastante comum que as pessoas se queixem de dor ao urinar. A conhecida cistite é um dos problemas que mais aparecem no verão e incomodam, principalmente, as mulheres. Mas se engana quem acredita que a dor atinge somente o público feminino. O médico urologista do Pilar Centro Médico, Dr. Eduardo Gerber, explica que a dor ao urinar (ou disúria) é um dos sintomas que afetam mulheres e homens numa proporção semelhante, e que podem indicar inúmeras doenças, como infecção de bexiga, uretrite (doenças sexualmente transmissíveis – DST, como gonorreia, entre outras), além da cistite actínica, que é a inflamação da bexiga pós-radioterapia, e também os problemas da próstata, na qual o mais comum é a hiperplasia prostática benigna.

Ou seja, a dor ao urinar pode indicar muitos problemas, e cada causa tem o seu tratamento individualizado”, explica o especialista. Por isso, consultar um médico quando sentir dor ou desconforto é fundamental para investigar o problema, passar por um tratamento adequado e se curar. “O mais comum, ainda, é encontrar a infecção urinária – a cistite, como causa da disúria”. O tratamento da doença consiste basicamente em atacar a bactéria que levou ao sintoma. “A disúria é sinal de alerta para qualquer problema urológico, devendo o paciente procurar de imediato um urologista para investigação da causa”, orienta.

Outro problema do trato urinário é a síndrome da bexiga dolorosa (SBD), que é uma doença que causa dor, pressão ou desconforto na bexiga, acompanhado de sintomas urinários, como o aumento da frequência e urgência urinárias. A Sociedade Internacional de Incontinência (ICS) relata que a doença acomete, principalmente, as mulheres acima de 40 anos, numa proporção de 10 por 1 em relação aos homens, porém, cerca de 25% das mulheres começam a apresentar os sintomas antes dos 30 anos.

“A causa da doença ainda é controversa, mas sabe-se que é provocada por uma alteração do urotélio (camada de células que reveste a bexiga) causando uma cascata de alterações e levando a lesões inflamatórias locais e dor”, diz o especialista. Segundo ele, a dor está presente em 97% das pacientes e tem algumas caraterísticas específicas. “Piora com consumo de certos alimentos e bebidas (que devem ser individualizados), piora com o enchimento da bexiga e melhora após o esvaziamento da bexiga. Outros sintomas relacionados são polaciúria (aumento da frequência), noctúria (aumento da frequência noturna) e urgência para urinar”, ressalta.

Alguns exames podem ser realizados para a identificação da SBD, como os de urina, ecografia, cistoscopia e estudo urodinâmico. O tratamento consiste desde alterações comportamentais, ao uso de medicamentos antidepressivos e anti-histamínicos, passando por fisioterapia, medicações intra-vesicais (remédios diretamente na bexiga), neuromodulação sacral e, em último caso, por meio de cirurgias. “Não existe meio eficaz de prevenir, mas podemos orientar os pacientes a levar uma vida mais saudável, tomando no mínimo 2 litros de água por dia, não segurando a urina muito tempo dentro da bexiga, além de medidas que diminuem radicais livres, como ter uma dieta saudável, evitar cigarro e fazer atividades físicas regularmente. Ainda há muita controvérsia tanto na causa quanto no tratamento da Bexiga Dolorosa, mas é possível diminuir os riscos tendo uma rotina mais saudável”, conclui.

Centro Médico do Hospital Pilar está aberto para o atendimento aos pacientes

Curitiba ganhou um novo Centro Médico, uma unidade moderna e equipada com tecnologia de ponta, visando ao conforto e à qualidade no atendimento dos pacientes com consultórios médicos, unidade primária de oncologia e hematologia e estrutura para procedimentos cirúrgicos de pequena e média complexidade.

Trata-se também da primeira unidade de Hospital Dia de Curitiba fora da estrutura hospitalar, localizado a poucos metros do Pilar Hospital, que oferece uma autonomia para procedimentos cirúrgicos, já que o espaço foi desenhado para melhor atender médicos e pacientes, disponibilizando estrutura e equipamentos modernos.

O local foi totalmente revitalizado e adaptado para abrigar 35 consultórios médicos, além de alianças estratégicas com parceiros de excelência, como a unidade primária de oncologia e hematologia com atendimento ambulatorial e centro de infusão, da Oncoclínicas, que traz uma unidade para o projeto específica para o tratamento de câncer, além do Hospital do Coração de Curitiba, contando ainda com atendimento das mais diversas áreas, desde geral até ortopedia, dermatologia, otorrinolaringologia, pneumologia, urologia, entre outras, contando com várias equipes multidisciplinares dando continuidade ao atendimento ainda mais personalizado oferecido pela instituição.

O espaço conta também com estacionamento próprio, com capacidade para 50 veículos/hora, e atendimento do Centro Médico ao público é das 8h às 19h30, na Rua Paulo Graeser Sobrinho, nº 270, no bairro São Francisco, em Curitiba (PR), com atendimento particular e também para os principais planos de saúde. O agendamento pode ser feito pelo telefone (41) 3072-7272 ou pelo aplicativo Pilar Centro Médico.

Amo Curitiba
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você