A comunidade está de cara nova!
Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

5G da inovação e da sustentabilidade: único caminho para as indústrias em 2022

5G da inovação e da sustentabilidade: único caminho para as indústrias em 2022
Central Press
mar. 3 - 3 min de leitura
0 Curtidas
0 Comentários
0

*Matthias Schupp

Sempre que alguém cita a palavra crise, lanço o desafio: tire o S da palavra e transforme crise em crie - temos o futuro em nossas mãos. É uma proposta para encarar momentos críticos como oportunidades. O mundo passa por um período de muitas mudanças e incertezas a respeito do cenário econômico. Mas, mesmo assim, é possível fazer uma aposta para o setor industrial brasileiro: será o ano da inovação aliada com a sustentabilidade. Ou seja, o ano de criar pensando nas consequências futuras.

A aposta não é apenas um desejo para o ano que começa, mas sim, fruto de um novo patamar que se abre com a instalação da tecnologia 5G no Brasil. O leilão foi realizado pelo governo federal em 2021, os contratos com as empresas vencedoras foram assinados em dezembro, e assim, já é possível iniciar a instalação da infraestrutura para a nova tecnologia. O prazo previsto pelo edital para que o serviço seja oferecido nas capitais vai até julho de 2022, e nas demais cidades, até 2029. Para toda a população, será a possibilidade de maior conectividade.

Para o setor industrial, de imediato, há benefícios como aumento de conectividade, transferência de arquivos e melhoria na qualidade de  reuniões por videoconferência. Mas, o grande avanço será na chamada Internet das Coisas (IoT), que significa uma revolução tecnológica ao permitir comunicação entre equipamentos, por meio de sensores, softwares e demais tecnologias, com o objetivo de conectar e trocar dados com outros dispositivos e sistemas pela internet.

A cadeia produtiva, dos mais diversos setores, avançará muito com a IoT e os mecanismos de nuvens, inteligência de dados, utilizados no dia a dia das empresas. Sem falar das possibilidades de inovação dos novos produtos, o que vai gerar ganho de consumo. Não são consequências de curto prazo, mas a hora de planejar e investir é agora.

Sairá na frente quem já mantém no DNA a pesquisa para inovação. Porém, tal avanço será um salto para a reputação da empresa se estiver aliada às ações de sustentabilidade e demais pilares da agenda ESG – environmental, social and governance. De nada adiantará investir em inovação de procedimentos e produtos se as diretrizes para uma cadeia mais sustentável, social e que envolva um novo tipo de governança não estiverem no escopo.

Os avanços tecnológicos devem permitir a diminuição no desperdício de recursos naturais, uso de energias alternativas para a produção, melhoria da cadeia produtiva, diminuição de tempo nos processos, organização dos dados e melhor comunicação. Empresa, colaboradores, consumidores e toda rede de relacionamentos ganham se o avanço tecnológico e de processos estiver aliado com a sustentabilidade.

Não é possível ignorar as consequências da crise econômica, como a escassez de insumos e matérias-primas, e elevação dos preços no mercado mundial. Mas é razoável prever, apostando em um novo marco tecnológico e política industrial que incentive a inovação, que o ano de 2022 possa representar a retomada da indústria e de forma responsável.

*Matthias Schupp é CEO da Neodent e EVP do Grupo Straumann da América Latina


Denunciar publicação
0 Curtidas
0 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você